Setembro 02, 2014, 07:55:16 am

Autor Tópico: TESTE DA FALCON  (Lida 28114 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.

Offline BATISTA

  • COLABORADOR I
  • Ralando as pedaleiras
  • *
  • Mensagens: 992
  • Sexo: Masculino
  • Três Lagoas - MS
TESTE DA FALCON
« Online: Agosto 15, 2008, 06:16:27 am »
Teste da Falcon NX4 por um usuário
 
 
 
     

Desde que foi lançada, a Honda Falcon sempre mostrou ser uma moto bipolar: atrai ódio e amor na mesma proporção. Os admiradores da moto elogiam seu conforto, dirigibilidade e torque em baixas rotações. Os detratores do modelo listam o consumo excessivo, o motor antiquado e “amarrado” em termos de potência quando comparado ao 350 da antecessora Sahara, a falta de um câmbio de seis marchas e o estilo como seus pontos mais negativos.

Sou adepto da tese de que o melhor teste é aquele feito pelo consumidor. E me coloco muito à vontade para fazer este, visto que fui dono de duas Falcon, uma 2001 (Maria Valentina) e uma 2007 (Scarlett, que foi roubada com oito meses de uso).

Vamos, então, aos prós e contras da NX4 Falcon: Uma das coisas que me encantou na moto sempre foi o torque em baixas rotações. Para um usuário urbano como eu, essa característica é de vital importância nas “emergências viárias” do dia-a-dia.

Saber que você tem motor de sobra para uma acelerada mais rápida que lhe permita sair de uma situação potencialmente perigosa é fundamental, e nisso a Falcon não decepciona. Aliás, o projetista deve ter elaborado a moto pensando no usuário urbano.

É incrível a facilidade com que os 151,5 kg da moto simplesmente desaparecem quando em uso. A moto se insere bem nos corredores e entre os carros. Verdade seja dita: essa virtude está presente em todas as motos trail, mas na Falcon é mais notada devido ao seu tamanho.

Ela é capaz de dar baile até em modelos menores, não tendo sido poucas as vezes em que acompanhei e até mesmo passei por modelos bem menores nessas situações.

O conforto da moto e a ergonomia dos comandos surgem como outros pontos a serem notados, principalmente em viagens. O banco tem a equação adequada, nem muito duro nem muito macio, e o piloto fica numa posição ereta com as pernas bem acomodadas no tanque. Isso se traduz em menos paradas para desamarrotar o corpo e uma viagem mais prazerosa.

Falando em viagens, os detratores da moto adoram dizer que ela não tem força quando comparada à Sahara 350. Francamente, isso é uma grandíssima bobagem. No dia que um cavalo a menos fizer diferença em alguma coisa que não seja a MotoGP, o mundo acaba. O máximo a que cheguei numa viagem recente a Curitiba foi 130 km/h, velocidade adequada para a estrada e para um viajante iniciante como eu. Pedir mais que isso, sinceramente, é burrice da grossa. A Falcon tem como característica o torque, não a velocidade final.

Como em toda relação, sempre há algum defeito que incomoda, e a Falcon não está livre disso. Uma coisa que sempre me irritou nessa moto é a torneira de combustível, de manuseio difícil por ser pequena e estar “enterrada” num nicho da carenagem. Manipular essa torneira com luvas, então, é a tortura suprema, sem comentários. Ainda por cima sem a posição “reserva”.

Não é sempre que dá para confiar no marcador do painel. Vai que um belo dia ele resolver dar defeito, e aí? Empurrar moto já é chato, empurrar uma com 151.5 kg então é sacanagem.

Outra bobagem é a trava de capacete. Se a Honda acha mesmo que alguém leva aquele aramezinho vagabundo a sério como trava de capacete, deveria repensar seu conceito. Piada de mau gosto, sem dúvida alguma.

Falei mais acima sobre viagens e aí aparece outro ponto negativo: a falta de uma sexta marcha ou, ao menos, de uma luz indicativa de última marcha engatada. Embora eu considere o desempenho suficiente, não foram poucas as vezes em que engatei uma “sexta fantasma” durante a viagem a Curitiba.

O barulho do motor engana em determinadas ocasiões, o que leva a procurar uma sexta que não existe. Nesse ponto eu dou o braço e o guidão a torcer em relação a Sahara, de seis marchas. Aumentaria ainda mais o conforto de pilotagem da Falcon, além de agir como fator para economizar combustível.

E, puxa, ela bebe bem. Médias entre 15 e 18 km/litro na cidade e 21 a 23 km/litro na estrada são uma constante entre proprietários do modelo. Nas minhas, sempre rodei 230 km com um tanque de 15,3 litros. Algo, decididamente, a ser revisto pela fábrica, pois se traduz em mais paradas numa viagem.

Talvez a adoção da injeção eletrônica resolva esse problema. E aproveitando o ensejo, bem que poderiam fazer pastilhas de um material mais durável que o “alcaçuz” que estão usando hoje em dia. Trocar pastilhas a cada 6000 km é dose.

A manutenção da motocicleta está de acordo com o preço do modelo. Acho de uma sandice sem precedentes ver alguém que compra uma moto de R$ 14.000 ficar regulando centavos na hora de mantê-la. Se não agüenta, não compre. Simples assim.

Só dou o braço a torcer na questão do filtro de ar. A Honda abusa da boa vontade do dono da moto ao cobrar R$ 180 na peça que de especial não tem nada. Até tentei analisar a composição do componente em laboratórios, mas para minha decepção, não encontrei os pedaços de ouro que justificariam o preço da peça.

Na Internet, encontram-se nos fóruns do modelo instruções para a montagem de um filtro caseiro que usa o filtro do Celta como base. Particularmente, eu sou contra gambiarra, ainda mais numa moto desse naipe e desse valor, mas isso vai da consciência de cada um. Eu não uso e não recomendo.

Fala-se muito dos pneus, que também desgastam rápido, mas eu já coloco a culpa nos proprietários. Minha primeira Falcon trocou o jogo original com 19.000 km o traseiro e 22.000 km o dianteiro. Registre-se: pneus calibrados semanalmente, algumas vezes mensalmente quando usava nitrogênio, e pilotagem moderada, sem arroubos “Valentinísticos”.

Nessa hora me vem à mente o título de uma pornochanchada dos anos 80: “Sabendo Usar, Não Vai Faltar”. O retificador de voltagem também é tido como um calcanhar de Aquiles do modelo, não sendo poucos os relatos de proprietários que trocaram esse componente mais de uma vez. No meu caso, nunca precisei trocar essa peça.

A Falcon é um produto válido? Embora eu seja suspeito para falar, eu considero que sim. Tem seus defeitos inegáveis, alguns são de fácil correção, outros necessitam de uma análise mais profunda por parte da Honda para serem resolvidos.

No geral, é uma moto que me atendeu perfeitamente em tudo, superando minhas expectativas. Infelizmente, a minha 2007 foi roubada com oito meses de uso, outro ponto “negativo” da Falcon, ser muito visada para roubos e ter um seguro caríssimo (a menor cotação que apurei ficava em R$ 7.000). Mas, independente de tudo, teria outra sem dúvida alguma.

O “motonauta” Leonardo Brito participou do Moto Repórter, canal de jornalismo participativo do MOTO.com.br. Para mandar sua notícia, clique aqui.
 
 


Fonte:
Equipe MOTO.com.br
 



Offline Blackspider

  • COLABORADOR II
  • Ironbutt do FOL
  • **
  • Mensagens: 4.931
  • Sexo: Masculino
  • São Paulo - ZO - SP
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #1 Online: Agosto 15, 2008, 07:17:08 am »
Teste da Falcon NX4 por um usuário
 
Como em toda relação, sempre há algum defeito que incomoda, e a Falcon não está livre disso. Uma coisa que sempre me irritou nessa moto é a torneira de combustível, de manuseio difícil por ser pequena e estar “enterrada” num nicho da carenagem. Manipular essa torneira com luvas, então, é a tortura suprema, sem comentários. Ainda por cima sem a posição “reserva”.
Em 6 anos com minha BLACSPIDER, nunca fechei a torneira.

Outra bobagem é a trava de capacete. Se a Honda acha mesmo que alguém leva aquele aramezinho vagabundo a sério como trava de capacete, deveria repensar seu conceito. Piada de mau gosto, sem dúvida alguma.
Concordo em genero, nº e grau

Falei mais acima sobre viagens e aí aparece outro ponto negativo: a falta de uma sexta marcha ou, ao menos, de uma luz indicativa de última marcha engatada.
Falta mais a 6º do que a luzinha indicadora

E, puxa, ela bebe bem. Médias entre 15 e 18 km/litro na cidade e 21 a 23 km/litro na estrada são uma constante entre proprietários do modelo. Nas minhas, sempre rodei 230 km com um tanque de 15,3 litros. Algo, decididamente, a ser revisto pela fábrica, pois se traduz em mais paradas numa viagem.
A BLACKSPIDER sempre achei econômica: na cidade médias de 20 km/l. Em uma viagem que fiz ao Guarujá enchi o tanque aqui em Sampa e chegando lá enchi de novo e consegui a média de 32 km/l

Talvez a adoção da injeção eletrônica resolva esse problema. E aproveitando o ensejo, bem que poderiam fazer pastilhas de um material mais durável que o “alcaçuz” que estão usando hoje em dia. Trocar pastilhas a cada 6000 km é dose.
Até que são baratas as pastilhas para comparação e 6000Km é só a dianteira a trazeira dura o dobro

A manutenção da motocicleta está de acordo com o preço do modelo.
Desde que seja feita fora da HONDA

Acho de uma sandice sem precedentes ver alguém que compra uma moto de R$ 14.000 ficar regulando centavos na hora de mantê-la.
Aí o cara forçou. Centavos ninguem regula mas à partir de reais regulo mesmo
 
Só dou o braço a torcer na questão do filtro de ar. A Honda abusa da boa vontade do dono da moto ao cobrar R$ 180 na peça que de especial não tem nada. Até tentei analisar a composição do componente em laboratórios, mas para minha decepção, não encontrei os pedaços de ouro que justificariam o preço da peça.
Na Internet, encontram-se nos fóruns do modelo instruções para a montagem de um filtro caseiro que usa o filtro do Celta como base. Particularmente, eu sou contra gambiarra, ainda mais numa moto desse naipe e desse valor, mas isso vai da consciência de cada um. Eu não uso e não recomendo.
Uhéééé, voce não falou que acima que não fica regulando $$$ para uma moto de R$14k????
Se você não usa o alternativo ou genérico ou outro qualquer, você não tem argumento para não recomendar.


Fala-se muito dos pneus, que também desgastam rápido, mas eu já coloco a culpa nos proprietários.
Concordo, os pneus e consumos, dependem muito do seu punho

O retificador de voltagem também é tido como um calcanhar de Aquiles do modelo, não sendo poucos os relatos de proprietários que trocaram esse componente mais de uma vez. No meu caso, nunca precisei trocar essa peça.
Sorte sua.

A Falcon é um produto válido? Embora eu seja suspeito para falar, eu considero que sim. Tem seus defeitos inegáveis, alguns são de fácil correção, outros necessitam de uma análise mais profunda por parte da Honda para serem resolvidos.
No geral, é uma moto que me atendeu perfeitamente em tudo, superando minhas expectativas. Infelizmente, a minha 2007 foi roubada com oito meses de uso, outro ponto “negativo” da Falcon, ser muito visada para roubos e ter um seguro caríssimo (a menor cotação que apurei ficava em R$ 7.000). Mas, independente de tudo, teria outra sem dúvida alguma.
Concordo

Apesar de agora estar com uma XT600 a Falcon tem muitas virtudes e com certeza vai me deixar saldades.
Foram 6 anos de experiencia e com isso posso recomendar.
Claro que nesta recomendação estou considerando que peguei ela OKM e foi muito bem tratada.
:thumleft:
 
 

« Última modificação: Agosto 15, 2008, 07:21:18 am por Blackspider »
 

Offline Elton (Indaia)

  • COLABORADOR I
  • Ironbutt do FOL
  • *
  • Mensagens: 2.451
  • Sexo: Masculino
  • Indaiatuba/SP
    • Minhas fotos
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #2 Online: Agosto 15, 2008, 10:10:49 am »
Teste da Falcon NX4 por um usuário
Como em toda relação, sempre há algum defeito que incomoda, e a Falcon não está livre disso. Uma coisa que sempre me irritou nessa moto é a torneira de combustível, de manuseio difícil por ser pequena e estar “enterrada” num nicho da carenagem. Manipular essa torneira com luvas, então, é a tortura suprema, sem comentários. Ainda por cima sem a posição “reserva”.

RESERVA !?!?!?

Tem isso ?

Offline D i e g o

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 30.141
  • Sexo: Masculino
  • Fol Floripa - SC
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #3 Online: Agosto 15, 2008, 10:19:39 am »
Gambiarra no filtro de ar? Vai cagá no mato!! Fica melhor que o original!!

Torneira de combustível? Pra que? precisa? Só lembro dela quando vou lavar e fica cêra por ali, nunca fechei.

Ele se contradiz em alguns pontos, tanto que falou: uma moto de 14 mil regulando centavos? Então paga o filtro original!! Ou comprar de vez um Celta e vira coxinha!!

Eu só tenho elogios pra a Falcon. Inclusive ele falou das pastilhas né? De TODAS as hondas que tive (Galo, Tornado, CB 500, Tw, CBR e CB 450) o melhor freio que tive foi com a Falcon. freio bom sem gastar pastilhas?

Retificador? Sei onde fica, até agora nada na 2003.

Abs

LUTO PELA DONA BÊ

Offline DeBarros

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 1.390
  • Sexo: Masculino
  • Floripa - Ilha da Magia !!!
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #4 Online: Agosto 15, 2008, 11:10:30 am »
Gambiarra no filtro de ar? Vai cagá no mato!! Fica melhor que o original!!

Ahh Diego, vai cagá né!!! O freio da CB500 é um baita, nem se compara...se não me engano é BREMBO (algo assim)  kkkkk; kkkkk; de resto a Falcon é legal...tirando o parafuso q seguro a lente do pisca q é feio... kkkkk; kkkkk;
Tu gosta tanto do freio da Falcon q não passa de 60km por hora... ieba ieba


Torneira de combustível? Pra que? precisa? Só lembro dela quando vou lavar e fica cêra por ali, nunca fechei.

Ele se contradiz em alguns pontos, tanto que falou: uma moto de 14 mil regulando centavos? Então paga o filtro original!! Ou comprar de vez um Celta e vira coxinha!!

Eu só tenho elogios pra a Falcon. Inclusive ele falou das pastilhas né? De TODAS as hondas que tive (Galo, Tornado, CB 500, Tw, CBR e CB 450) o melhor freio que tive foi com a Falcon. freio bom sem gastar pastilhas?

Retificador? Sei onde fica, até agora nada na 2003.

Abs
DeBarros - Floripa - Agora de FAZER 250 - preciso de mais asfalto!!!
-Strada 200 1998 -CBR450SR 1990 -CB500 2001 -TITAN -Falcon 2002 - Falcon 2006 -YES 2007 -FAZER 250 2012 e subindo...

Offline F l a v i l d o

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 13.053
  • Sexo: Masculino
  • Guarulhos - SP
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #5 Online: Agosto 15, 2008, 11:26:51 am »
Black

faço das suas palavras as minhas  se me permite

 :thumleft:

Agora Gambiarra  rit50 rit50 Fala sério.  uma puta idéia genial
 funciona e muito bem mesmo 

 
Flavildo
Flavildo
Nextel:934*6842
Guarulhos - SP
Liberdade acima de tudo
RX125 (1980) / DT180 (1982) / XL250R (1983) / Agrale Elefant 27.5 (1987) / Falcon (2000) / Falcon (2008) / XT660R (2007) / F800GS (2012) / F800GS Thophy

Offline J e a n

  • Pilotando na boa
  • ***
  • Mensagens: 284
  • Sexo: Masculino
  • Blumenau - SC - Brasil
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #6 Online: Agosto 15, 2008, 11:40:13 am »
pastilhas com 6000???
minha ta com 10.000 e nem sinal de trocar...

agora 6 marchas ia ficar perigoso, a Falcon quando passa dos 140 fica dificil de manter ela  estavel
balança q da medo  :twisted: :twisted: :twisted: :twisted:

[]'s
Coxinha :(
Ex - Falcon Vermelha - Blumenau - SC - Brasil

Offline Barah

  • COLABORADOR I
  • Ironbutt do FOL
  • *
  • Mensagens: 5.056
  • Sexo: Masculino
  • Joinville/SC
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #7 Online: Agosto 15, 2008, 11:43:32 am »
A FALCON é uma boa moto!

Contradição... há o elogio do torque do motor mas pede a sexta marcha. Assim ficaria difícil de agradar. Se a FALCON tem gene da SAHARA 6 marchas, porque será que o fabricante fez um conjunto que trabalha em alta rotação e uma marcha a menos? Aceitem, a FALCON não agradaria muitas pessoas que esperam pela sexta marcha.

Quanto ao RR, aquecimento demasiado da fiação alternador <...> RR. Demonstra passagem de corrente alta numa fiação de pequena seção - mau contato nos conectores merecem apreciação para não ter danos futuros no RR. Se vacilar em manter a bateria em boas condições, vai danificar o RR que danifica a bateria. É uma "simbiose" do car@$@$@$@.

Os demais comentários do teste conferem. Citaria o fato da FALCON ter a dianteria oscilante, passando insegurança ao piloto.

Abs
« Última modificação: Agosto 15, 2008, 11:56:09 am por Barah »
Atual - 250 Ténéré
Antes - Bros 125, Tornado 250, FALCON 400 e XT66

Offline Kenji-PR

  • Ironbutt do FOL
  • ******
  • Mensagens: 3.326
  • Sexo: Masculino
  • Francisco Beltrão - Paraná
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #8 Online: Agosto 15, 2008, 11:53:04 am »
Citaria o fato da FALCON ter a dianteria oscilante, passando inssegurança ao piloto.
concordo com esta colocação, pois ja vivenciei isso!

                                   ::  Falcon 2002/2003 - Vermelha  ::

Offline Blackspider

  • COLABORADOR II
  • Ironbutt do FOL
  • **
  • Mensagens: 4.931
  • Sexo: Masculino
  • São Paulo - ZO - SP
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #9 Online: Agosto 15, 2008, 12:23:41 pm »
Citaria o fato da FALCON ter a dianteria oscilante, passando inssegurança ao piloto.
concordo com esta colocação, pois ja vivenciei isso!

Eu só senti essa oscilação quando ultrapassei os limites dela e tudo tem limites.
Mas dentro dos limites, só tenho elogios exeto a falta de uma sexta.
O custo / beneficio da Falcon é bem interessante dentro de sua categoria.
 :thumleft:

 

Offline AlvaroME

  • Pilotando na boa
  • ***
  • Mensagens: 267
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #10 Online: Agosto 15, 2008, 01:08:19 pm »
A relação final da Falcon com a 5a. marcha é quase igual à da Sahara com a 6a...

Offline Elton

  • Ralando as pedaleiras
  • *****
  • Mensagens: 763
  • Sexo: Masculino
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #11 Online: Agosto 18, 2008, 08:50:26 am »
5 anos e 11 meses com a Falcon 2002:

1. pastilhas de freio:
de trás, troquei aos 28.000km (e não tava no osso não :D)
e aos 40.000, troquei ambos.

2. torneirinha de reserva?
nunca fez falta...controlo o consumo pelo marcador...ao abastecer, tenho a mania de tentar adivinhar...muito raramente erro por mais de 0,5 litro...confio no marcador. :thumleft:

3. 'NUNCA andei em rodovias com velocidade permitida maior que 80km/h... prá que querer moto que anda mais que 120/130km/h??

4. consumo:
cidade: JAMAIS abaixo de 20...média sempre de 20,5km/L aproximadamente.
estrada: recorde: 29km/L...média de 24km/L

5. em 2009, conforme especulações, eu queria uma moto maior (Transalp, Ténéré, V-Strom - de 600 a 700cc) mas, provavelmente pela falta de $$ dinheiro $$, vou parar de sonhar e encarar a  Falcon 2009, com ou sem mudanças :thumleft:

elt, elt, elt,
Elton - Campo Grande-MS

TITANIOTTI

  • Visitante
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #12 Online: Agosto 18, 2008, 09:21:17 am »
Ah galera, muita besteira nessa historia ai.Mas tb muita verdade!!

Torneira reserva não faria a menor diferença, tanto q tem o marcador de combustivel com "reserva"!!

Pneus, pastilhas, vai do condutor, isso eh ignorancia falar que acaba rapido...
O pneu dianteiro da minha foi se com 3500 km, mas eu assumo, eu acelerava bastante ela, em baixas rotações, que mais gasta!
Assim como as pastilhas, se eu reclamasse eu seria idiota..

RR nu mtive problemas, ainda, pois estou com 8kkm

Oscilação só quando marca 150 no velocimetro, ou seja, uma unica vez, limite!!

Sexta marchaa???  Quer andar numa autoBAN?
Pega uma GS 500, hehehe

Não levo minah moto mais na Honda, não mesmo, os caras são muito #@$ 's...
Somente para comprar pedal de cambio, ou uma carenagem.

Orcei um seguro de 7000 reais pela PS, mas fechei na Sulamerica por menos de 2,5k....
Num me arrependo 1 km com a Falcon...para o que ela propoe, são poucas "decepções", como não vir com aros de aluminio e o bendito neutro, que nao me incomoda nada tambem.
AH, suspensões e torques são muito bons, mas muitooooo!

A|bvs









Offline Jean Carlos

  • Pilotando na boa
  • ***
  • Mensagens: 182
  • Sexo: Masculino
  • Concórdia / Joaçaba - SC
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #13 Online: Agosto 18, 2008, 09:30:03 am »
Acho a Falcon um Tesão...
Porém o consumo não me agrada muito....
Quero ver quem faz 20 Km/Lt aqui em minha cidade....
Pra quem não conhece Concórdia_SC, dá uma olhada no Google Earth e muda o ângulo de visão...rsss
Só serra (Peral na linguagem polupar daqui)...
Abraços
Atual - Sem moto
Falcon 2008 - Preta
CG 125 2003 - Verde

Offline Aron

  • COLABORADOR I
  • Pilotando na boa
  • *
  • Mensagens: 278
  • Sexo: Masculino
  • Aron SP (Penha)
Re: TESTE DA FALCON
« Resposta #14 Online: Agosto 18, 2008, 09:49:04 am »
Ae Galera blz,

Acho q existe algo errado nesse numero q alguns esto relatando q na cidade a Falkera é mais economica q na estrada pelo contrario ela gasta-se mais na estrada do q na cidade.

Pelo menos com a minha é assim Cidade faz +ou- 23km/L
                                             
                                           Estrada Faz +ou -20km/l

Ou será q a minha esta meia loka  i.aia; i.aia; i.aia; i.aia;